martes, noviembre 15, 2011

Fernando Báez junto a Derek Walcott, Gonzalo Tavares y Deepak Chopra en Brasil

Gonçalo M Tavares, Nelson de Oliveira e Fernando Baéz discutem os porquês de ser escritor (Foto: Katherine Coutinho / G1) "Nós somos a única espécie no mundo que escreve", lembra Baéz, ressaltando a transcedência do livro. "Tranformamos palavras em livros e livros em pensamentos. É importante perceber isso para se dar conta da trascedência do livro", conta, lembrando que existem livros nas 192 nações reconhecidas pela Organização das Nações Unidas. "Isso nunca aconteceu antes", exulta. As mudanças no mercado editorial foi outro tema abordado no encontro. Para Baéz, o que está acontecendo é uma mudança, os livros estão migrando para plataformas digitais, mas de forma alguma isso significa a extinção deles como os conhecemos. "É uma evolução, como evoluímos dos papiros", afirma o escritor venezuelano. http://fliporto2011.com.br/autores/fernando-baez.html http://g1.globo.com/pernambuco/fliporto/2011/noticia/2011/11/na-fliporto-goncalo-tavares-define-livro-como-maquina-de-fazer-pensar.html

No hay comentarios.: