Skip to main content

Posts

Showing posts from October, 2009

Brasil prepara gran homenaje a Eduardo Galeano y Fernando Báez

Todo está listo para el inicio de Fliporto 2009, donde los dos invitados principales serán Eduardo Galeano, un clásico que escribió Las venas abiertas de América Latina, y Fernando Báez, autor de la Historia Universal de la destrucción de libros. Se estima una asistencia masiva de distintos editores y lectores, incluyendo una delegación de la Unión Europea. (Con notas de REUTERS y EFE) La ficha en portugués dice: FERNANDO BÁEZ Poeta, romancista, historiador, educador e bibliotecólogo venezuelano: é um dos maiores especialistas no mundo na história do livro e das bibliotecas. Autor do best-seller História universal da destruição dos livros (lançado em tradução brasileira em 2006, pela Ediouro) e de Historia de la antigua biblioteca de Alejandría, além de A destruição cultural do Iraque: um testemunho de pós-guerra (ainda inéditos no Brasil), no seu mais recente livro ele foi mais além, pois trata de mais de quinhentos anos de espoliação: El saqueo cultural de america latina, que s

Fernando Báez debate en Portugal

Las notas de Portugal han sido positivas y en esta temporada de libros aparece con frecuencia la traducción que hizo la editorial Texto y que se ha promovido en Lisboa, donde Báez cumplió esta semana una apretada agenda para hablar sobre los intelectuales perseguidos durante el nazismo. Aqui va una: História Universal da Destruição dos Livros Fernando Báez Texto, 23,99€ Numa irónica simetria, o livro começa e acaba no Iraque. Entre a destruição da biblioteca de Ebla pelo rei acádio Naramsin (2254-2218 aC) e a pilhagem das bibliotecas e museus do Iraque durante a invasão americana, em 2003, há um fio condutor de estupidez, intolerância, tacanhez e incúria. Se há quem veja no livro uma fonte de saber e um instrumento de libertação, também há quem nele veja pornografia, heresia e incitação à subversão. Em não poucos casos considerou-se insuficiente queimar os livros e queimaram-se também os seus autores – e até os seus impressores e leitores. Pela força deste exemplo e de várias f